Golpe da portabilidade do consignado – o que é e como evitar?

Golpe da portabilidade do consignado – o que é e como evitar?

Você já ouviu falar do golpe da portabilidade do empréstimo consignado? Neste artigo contamos tudo para que você se previna.
22.6.2022
11 minutos
Golpe da portabilidade do consignado – o que é e como evitar?

O empréstimo consignado é cheio de vantagens: como suas parcelas são debitadas automaticamente da folha de pagamento, essa modalidade oferece as melhores condições do mercado – segurança e baixas taxas de juros.

Além disso, é um tipo de empréstimo que tem bastante flexibilidade, incluindo a possibilidade de fazer a portabilidade: uma maneira de transferir um empréstimo já em andamento para outra instituição que ofereça condições melhores.

No entanto, onde há vantagens sempre há alguém para manipulá-las e utilizá-las de maneira ilícita, cometendo fraudes e causando danos a pessoas inocentes. Esse é o caso do golpe da portabilidade do consignado.

Neste artigo, explicaremos em detalhes como o golpe tem sido praticado, como evitá-lo e o que fazer caso, infelizmente, alguém caia nessa armadilha. Então fique atento e siga conosco nesta leitura.

Como funciona o golpe?

Os alvos prioritários desse golpe são servidores públicos, aposentados e outros beneficiários do INSS, uma vez que essas pessoas têm maior facilidade de contratar empréstimos consignados.

O golpe tem início antes mesmo do contato com as vítimas. Os criminosos, primeiramente, conseguem acesso a todos os dados financeiros e de identificação das pessoas que abordarão.

Esses dados podem ser obtidos por meio de violação de segurança em sistemas de cadastro, venda de dados, cooperação ilícita de funcionários de instituições financeiras ou mesmo por descuido ou desinformação das vítimas ao informarem seus dados em cadastros suspeitos.

Tendo em mãos esses dados, os falsários entram em contato com as vítimas, geralmente por telefone, alegando ser representantes de bancos ou outras instituições financeiras reconhecidas, e ganham a confiança das pessoas ao demonstrar ter conhecimento de todas as suas informações.

As vítimas são pessoas que já possuem um ou mais empréstimos consignados e, sabendo disso, os criminosos oferecem condições muito atraentes para que a vítima faça a portabilidade para a nova instituição financeira.

Em geral, prometem uma redução considerável no valor das parcelas ou da taxa de juros do empréstimo vigente e, em alguns casos, até mesmo o pagamento imediato de uma quantia em dinheiro como retorno na transação.

Para fazer a suposta portabilidade, o cliente é informado de que será necessário fazer um novo contrato, e que, com isso, a dívida anterior será quitada e os juros da nova operação serão mais baixos.

Ao fazer a nova contratação, o cliente recebe em conta o dinheiro da negociação e, em seguida, é orientado para que faça uma transferência como uma espécie de estorno ou pagamento da diferença em relação ao empréstimo anterior.

É nesse momento que a vítima acaba fazendo a transferência de seu dinheiro para uma conta vinculada ao CNPJ da suposta empresa representante do banco ou instituição financeira e nunca mais conseguirá rastrear o valor.

A vítima só se dará conta de que caiu em um golpe quando receber a primeira parcela do novo empréstimo e continuar recebendo a cobrança do empréstimo anterior.

Ou seja, a transação, de fato, foi apenas uma nova contratação de empréstimo consignado e o dinheiro recebido já estará inacessível, nas mãos dos golpistas. A vítima fica, então, com as dívidas de todas as contratações e sem dinheiro algum.

Como evitar o golpe?

Considerando o modo de operação dos criminosos, há algumas maneiras de se manter atento para evitar cair no golpe da portabilidade do empréstimo consignado. Veja as dicas a seguir.

Cuide de seus dados

Como já dissemos, o primeiro passo dos fraudadores é conseguir os dados pessoais das vítimas. Algumas ações simples podem garantir a sua proteção:

• esteja sempre atento ao preencher cadastros e formulários online – certifique-se de que está em uma página confiável;
• configure a segurança e privacidade de suas redes sociais, sites em que tem cadastro e aplicativos em seu celular;
• não repita a mesma senha em diversos sites e utilize senhas fortes – que sejam longas e misturem letras maiúsculas, minúsculas, números e símbolos especiais;
• evite usar redes Wi-Fi públicas para fazer operações importantes, que precisem de seus dados;
• não salve dados de pagamento em sites e aplicativos;
• entre outros.

Caso queira entender um pouco mais sobre proteção de dados pessoais, a ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados) criou um guia que você pode acessar neste link.

Desconfie sempre que for contatado

Quando receber o contato de supostas empresas oferecendo produtos e serviços, especialmente financeiros, desconfie. Principalmente se a oferta oferecer muitas vantagens e for muito atraente.

Lembre-se: infelizmente, quando algo parece “bom demais para ser verdade”, realmente as chances de ser mentira são grandes.

Caso se interesse pela proposta, peça mais informações sobre a empresa e que entrem em contato em outro momento. Assim você ganha tempo para pesquisar se as informações são idôneas e se não há algum golpe sendo praticado dessa maneira.

Embora a internet esteja cheia de informações duvidosas ou incorretas, ela também pode ser usada como aliada: sempre que um novo golpe surge, aparecem também os relatos advertindo outras pessoas. Pesquise sempre.

Analise contratos com cuidado

Digamos que até o ponto da contratação você esteja seguro de que está lidando com uma empresa correta e de que não se trata de um golpe. Ainda assim, não assine nenhum contrato ou documento sem fazer uma boa análise.

Leia tudo o que receber e, se possível, peça ajuda de alguém que entenda mais sobre contratos – se possível, um advogado de sua confiança.

Lembre-se de não ceder a empresas que peçam que você assine documentos com urgência. Uma empresa idônea entende que seus clientes precisam analisar o que estão contratando e não forçam negócios apressados.

Não faça transferências antecipadas

Fuja se a empresa solicitar uma transferência ou depósito antecipado de valores, alegando que precisa pagar taxas relacionadas ao contrato – taxa de abertura de crédito, despesas de cartório, seguro-fiança etc.

No processo normal e seguro de um empréstimo consignado, o cliente começa a fazer pagamentos apenas após o recebimento do dinheiro emprestado.

Empréstimos só podem ser feitos por instituições autorizadas pelo Bacen (Banco Central do Brasil), e ele não permite que sejam solicitados pagamentos antecipados. Fique atento, pois pedir dinheiro antecipado só pode ser golpe.

Mas o que fazer se eu cair no golpe?

As vítimas desse tipo de golpe devem, primeiramente, fazer um boletim de ocorrência e entrar em contato com o banco ou instituição financeira em que foi feito o empréstimo consignado novo.

O boletim de ocorrência é essencial nesses casos, pois se trata claramente de um crime. É importante ter em mãos todos os comprovantes do crime – documentos recebidos, comprovantes de depósitos e até prints de tela são válidos como evidência.

E o contato com a instituição financeira, de preferência com a área de ouvidoria, aciona a empresa a fim de investigarem e verificarem o que pode ser feito para amenizar os prejuízos do cliente e reforçar a segurança interna.

O próximo passo é buscar entidades de defesa do consumidor, como Consumidor.gov, o Reclame Aqui e o Procon de seu estado. Também é possível fazer uma reclamação formal ao Bacen, pela página exclusiva de registro de demandas do cidadão ou pelo telefone 145.

Por fim, uma última possibilidade para tentar reaver ou amenizar as perdas da vítima seria via judicial. Nesse caso, será preciso contratar um advogado, preferencialmente um especialista em defesa do consumidor.

Ao analisar o processo, o juiz pode considerar que o banco ou instituição financeira pode ter sido negligente com o caso, ou mesmo não ter se esforçado o suficiente na análise de dados e da negociação.

Assim, tendo um parecer favorável, a vítima poderá receber de volta o valor integral que perdeu ou ao menos parte dele. Portanto, embora seja um caminho mais demorado e desgastante, pode ser bastante efetivo.

Realmente, a cada dia surgem mais riscos de fraude e golpes que podem trazer danos financeiros sérios às pessoas. No entanto, tomando as precauções que mostramos neste artigo, você estará munido contra possíveis golpes.

Nós, do PB Consignado, prezamos muito a segurança de nossos clientes e de nossas transações. Negociando diretamente com uma instituição confiável, você corre muito menos risco.

Além disso, os nossos empréstimos consignados contam com as melhores condições do mercado: contratação simples, segura, com baixas taxas de juros e parcelamento em até 96 vezes.

Quer dar uma conferida? Então, faça agora mesmo uma simulação com a gente.

Notícias sempre fresquinhas

Cadastre seu e-mail e receba notícias, dicas e informações sobre como cuidar melhor do seu dinheiro